CÂMARA DE COMÉRCIO BRASIL-TEXAS PREPARA DOIS EVENTOS PARALELOS À OTC DE HOUSTON

Por Daniel Fraiha (daniel@petronoticias.com.br) –

Photo 1AA Câmara de Comércio Brasil-Texas (Bratecc) está animada com a edição da Offshore Technology Conference (OTC) deste ano e decidiu inclusive inovar, com a realização de dois eventos paralelos, em vez de apenas um, como costumava acontecer nos últimos anos. O diretor executivo da Bratecc, Cid Silveira, explica que as operadoras têm demonstrado grande interesse no setor de óleo e gás brasileiro, e isso tem influenciado bastante a procura pelos dois eventos. “Vemos que o Brasil tem a chance de pilotar o crescimento, a retomada, da indústria de petróleo mundial. Compare com qualquer outro lugar do mundo, até mesmo com o Golfo do México. O Brasil tem oportunidades ilimitadas de crescimento e isto está se refletindo no interesse gerado nos eventos da Bratecc deste ano”, diz.

Um dos eventos, o já tradicional café da manhã da Bratecc, acontecerá no dia 3 de maio, contando com a presença do diretor geral da ANP, Décio Oddone, do secretário de petróleo e gás do Ministério das Minas e Energia, Márcio Félix, da presidente da Exxon do Brasil, Carla Lacerda, do presidente da Chevron do Brasil, Javier La Rosa, e da diretora de E&P da Petrobrás, Solange Guedes, com a moderação do presidente do IBP, Jorge Camargo. Já o outro, um coquetel no hotel St. Regis, está marcado para o dia 1º, com a presença do Ministro das Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, do presidente da Petrobrás, Pedro Parente, e dos diretores da estatal Hugo Repsold e Solange Guedes. Há ainda a expectativa de que o Secretário do Departamento de Energia dos EUA, Rick Perry, confirme a presença.

– Qual a expectativa da Bratecc com a OTC deste ano?

São as melhores possíveis. Os eventos programados e todas as confirmações de presenças nos mostram que a próxima edição de eventos da Bratecc, na OTC, são provas disto. São mostras do grande interesse da indústria em relação ao Brasil. Isto nos indica que os novos rumos têm movimentado a atividade e o pior já passou. Este ano estamos trabalhando para fazer um evento histórico, único. Só para dar uma ideia, estamos promovendo um coquetel no hotel St. Regis, ao final do primeiro dia da OTC, com a participação já confirmada do Ministro das Minas e Energia do Brasil, Fernando Coelho Filho e com a possível presença do seu equivalente americano, o secretário de estado dos EUA, Rick Perry. Neste mesmo evento, teremos ainda nada mais, nada menos que Presidente da Petrobrás, Pedro Parente, diretores, o Embaixador dos Estados Unidos, Michael McKinley, e diversas outras autoridades e membros das grandes operadoras de petróleo mundiais. Será um evento histórico que vamos proporcionar para a indústria. Comparativamente, não tenho lembrança de outra edição da OTC em que a Bratecc tenha tido a oportunidade de trazer tantas presenças ilustres em um mesmo tempo e lugar, prometendo oportunidades fantásticas para a indústria do petróleo.

– Como será o evento da Bratecc nesta edição?

Vou aproveitar esta pergunta para fazer uma recomendação ao nosso tradicional público, mas antes vou explicar como serão os eventos, pois assim ficará mais fácil entender. Este ano estamos promovendo dois eventos. Vou começar pelo segundo, o tradicional café da manhã da Bratecc, o Breakfast da Bratecc, sempre às quartas-feiras pela manhã. Para quem está acostumado e veio em outros anos, notará uma mudança, pois estamos inovando em termos de dinâmica, tornando-o mais participativo, propiciando maior interatividade com o nosso público. Contaremos com uma maior presença de operadoras internacionais, várias que se mostram interessadas em investir no Brasil, além das grandes operadoras que já estão instaladas no Brasil.

O presidente da Bratecc, Claudio Fonte Nunes, receberá no palco o novo Diretor Geral da ANP, Décio Oddone, o Secretário de Petróleo e Gás do Ministério das Minas e Energia, Márcio Félix, a presidente da Exxon do Brasil, Carla Lacerda, o presidente da Chevron do Brasil, Javier La Rosa, e a Diretora de E&P da Petrobrás, Solange Guedes. A dinâmica será tal que buscará uma maior troca de informações em forma de um painel, logo após as apresentações. O moderador deste painel será o Presidente do IBP Jorge Camargo.

E o outro evento?

Voltando um pouco no tempo, o evento do primeiro dia da OTC, que ocorrerá na segunda-feira, de 17:30 às 19:30, no Hotel St. Regis, será um coquetel em que homenagearemos o próprio Ministro das Minas e Energia, Fernando Coelho, e também, ainda dependendo de confirmação, o Secretário do Departamento de Energia dos EUA, Rick Perry. E, para abrilhantar ainda mais, teremos a presença do Presidente da Petrobrás, Pedro Parente, e vários diretores, como Hugo Repsold e Solange Guedes.

Contaremos com presidentes e gerentes de operadoras americanas que têm demonstrado grande interesse em investir no Brasil. Enfim, este coquetel será um momento único e marcante entre todos os eventos que já proporcionamos durante a semana da OTC. Entretanto, estamos limitando o número máximo de participantes, tanto em função da segurança, quanto para permitir um trânsito adequado entre os participantes, para termos um bom e eficiente ambiente para networking. Portanto, a recomendação que mencionei no início, a todos os que tradicionalmente nos honram com vossas presenças, em função da relevância dos eventos e da limitação de convidados, sugerimos que não deixem para a última hora os registros de sua participação. O site da Bratecc já está aberto para inscrições.

– Qual o principal objetivo dos eventos da Câmara Brasil-Texas neste ano e o que espera deles?

Nosso principal objetivo deste ano será o de mostrar a grande mudança na indústria de petróleo voltada principalmente para as oportunidades no Brasil. Mostrar os novos rumos e as medidas para a retomada do crescimento e as oportunidades de melhoria. E, ainda, propiciar às indústrias brasileira e americana a oportunidade de ouvir e interagir com os principais decisores e gestores. E não nos limitamos à indústria, mas também aos órgãos reguladores, governamentais e sociedades de classe. Portanto, o momento será único para isto. O mundo da indústria de óleo e gás entrou em crise em 2015. Talvez o Brasil, por outros motivos, tenha entrado um pouco antes. Entretanto, temos clara convicção de que os novos rumos estão movimentando o setor de forma a buscar novas formas de reativar a indústria de petróleo. Montamos nossos eventos com o objetivo de focar principalmente nestes aspectos, que são cruciais para o rumo da indústria de petróleo.

– Como está vendo a retomada da economia brasileira, principalmente no setor de petróleo?

Estamos vendo que o Brasil mudou e está claramente buscando a retomada do crescimento. Neste sentido, acreditamos que o pior da crise já tenha passado, e a nova realidade da indústria está mais clara para poder melhor planejar o futuro.

– Como avalia a decisão do governo em quebrar o conteúdo nacional?

Este é um tema complexo. Não podemos cair no simplismo do ter ou não conteúdo nacional, mesmo porque não estamos vendo o momento atual como uma negação do conteúdo. Mas é fato que tudo tem seu custo e o momento atual, para uma retomada da indústria, requer medidas que deem uma maior competitividade para a implantação dos projetos. Entretanto, não é objetivo da Câmara de Comércio Brasil-Texas de analisar a situação e ter uma posição a favor ou contra, mas sim a de proporcionar aos membros um ambiente para que possam se informar, discutir, fazer a interação, o chamado networking com membros gestores das indústrias brasileira e americana, além de membros decisores governamentais.

– O que pode falar sobre a perspectiva dos executivos em Houston em relação ao Brasil atualmente? Como as mudanças no setor estão sendo percebidas a partir daí?

Vemos uma grande movimentação. Temos visto que o interesse pelo Brasil cresceu muito, comparativamente com o ambiente de um ano atrás. A perspectiva de novos bids de blocos e as novas regras regulatórias têm, por assim dizer, trazido o foco de volta para o Brasil. Basta ver a própria OTC deste ano com uma forte presença de eventos ligados ao Brasil.

– Qual a sua visão sobre essas mudanças?

Vemos que o Brasil tem a chance de pilotar o crescimento, a retomada, da indústria de petróleo mundial. Compare com qualquer outro lugar do mundo, até mesmo com o Golfo do México. O Brasil tem oportunidades ilimitadas de crescimento e isto está se refletindo no interesse gerado nos eventos da Bratecc deste ano.

– O que será apresentado pelo diretor da ANP, Décio Oddone, durante o encontro?

Não temos o detalhamento de sua apresentação e nem mesmo gostaria de adiantá-las, mesmo porque o Diretor Geral da Agência, Décio, terá toda a liberdade de apresentar em nosso evento o que ele pretende para o futuro da Agência Reguladora Brasileira. E, mais importante, o público presente no café da manhã da Bratecc poderá ouvir sua posição em relação às ações da ANP, poderá se esclarecer e até mesmo interagir com ele, no formato do painel que estamos propondo para este ano.

– Qual será a linha das apresentações da Exxon, da Chevron e da Petrobrás?

Igualmente, não temos o detalhamento, mas certamente cada empresa vai apresentar sua linha de ações e principais atividades, projetos, como veem o momento e o futuro de cada empresa nas atividades de óleo e gás. Poderemos ouvir da sua própria presidente o que se espera da Exxon. E o presidente da Chevron do Brasil terá também a oportunidade de apresentar para o público seus planos para o futuro. E, ainda mais, como temos a participação da Diretora de Exploração e Produção da Petrobrás, Solange Guedes, esperamos que a Petrobrás, como carro-chefe de alavancagem das atividades de óleo e gás no Brasil, nos atualize sobre como se dará esta retomada das atividades. Em suma, todos terão liberdade de apresentar suas próprias ações e previsões. E, como disse antes, o formato de painel dará a oportunidade única aos presentes em nosso café da manhã de ouvir em primeira mão todos os principais decisores e gestores das operadoras com interesse no desenvolvimento de projetos de exploração e produção no Brasil.

– Quais os planos da Bratecc para este e para os próximos anos?

Primeiramente, é importante esclarecer que a Bratecc não se limita à área de óleo e gás. Temos outras áreas, outras atividades, como a indústria agropecuária, por exemplo. Mas focando no assunto em questão, que é a indústria do petróleo, temos um plano em curso para ampliar as vantagens para todos os nossos membros. Proporcionamos diversos outros eventos ao longo do ano, todos com altíssimo nível de participação, sempre buscando criar o ambiente de interação entre os pares. Trazemos decisores, gestores, os principais interlocutores para interagir com nossos membros. Portanto, nosso objetivo é diferenciar e proporcionar a eles uma linha de benefícios para crescimento da interação da indústria do Brasil e do Texas, com grandes oportunidades de negócios em toda a cadeia da indústria.

– Teriam uma mensagem final ou recomendação para os que pretendem participar da OTC deste ano em Houston?

Sim, principalmente para o nosso público fiel que nos prestigia todos os anos, e aos novos que queiram participar dos eventos da Bratecc. Não deixem para se registrar nos nossos eventos na última hora. Como podem ter percebido, precisamos limitar o número de participantes e recomendamos que se inscrevam antecipadamente. Gostaria também de informar aos que queiram patrocinar estes eventos que entrem em contato conosco o mais breve possível, pois realmente serão eventos que serão lembrados futuramente. Desejamos a todos que aproveitem bastante esta semana da OTC, pois promete trazer muitas oportunidades para todos.

Deixe seu comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz