WNU PREPARA NOVOS CURSOS NO BRASIL PARA DESENVOLVER NOVAS LIDERANÇAS NO SETOR NUCLEAR DO PAÍS

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) – 

presidente do órgão regulatório Argentino ,Leonam ,eu e a Gerente da WNU

Nestor Alejandro Masriera, presidente do órgão regulatório nuclear da Argentina; Leonam Guimarães, diretor da Eletronuclear; Antonio Müller; e a Patrícia Wieland, diretora da WNU

A World Nuclear University (WNU) vai dar um novo e importante passo em sua missão de ajudar o setor nuclear brasileiro a formar futuros líderes. A entidade promoverá em outubro (entre os dias 16 e 27), no estado de São Paulo, uma série de atividades ao longo de duas semanas destinada a empresas, governos, instituições de pesquisa e autoridades reguladoras que tenham interesse em ter destaque no campo de radiação e radioisótopos. O tema é de extrema importância para o Brasil, que está desenvolvendo o seu Reator Multipropósito,  tornando o País autossuficiente na produção de radioisótopos – usados no tratamento e diagnóstico de doenças como o câncer.

O programa visa fornecer aos participantes um amplo entendimento e novos horizontes na área de radioisótopos e tecnologias de radiação. Como se sabe, a radiação é utilizada com o objetivo de curar doenças como, por exemplo, algumas formas de neoplasias. Além disso, a WNU, liderada pela brasileira Patrícia Wieland, quer apontar quais são os principais problemas encontrados pelos profissionais no campo.

Além de fornecer oportunidades para que os participantes criem uma rede mundial de contatos, a programação terá uma série de encontros e debates de temas pertinentes. Uma das atividades será a visita ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, um dos principais centros de saúde do Brasil. Ele é formado por sete institutos especializados e um deles é justamente o Instituto do Câncer de São Paulo, referência no tratamento da doença na América Latina. Todo o programa de atividades foi pensado para desenvolver habilidades essenciais para liderança, comunicação e gerenciamento de projetos.

Uma das principais vozes do setor no País e personagem importante na história do Programa Nuclear Brasileiro, o executivo Antonio Müller é testemunha do sucesso de cursos anteriores feitos pela WNU no Brasil. “Precisamos focar muito nos jovens para repor os quadros, porque muita gente se aposentou, muita gente saiu do segmento, então é realmente o momento de investir neles”, afirmou Müller, em entrevista ao Petronotícias.

Em abril, a Associação Brasileira para Desenvolvimento de Atividades Nucleares (ABDAN) e a WNU realizaram um programa de cursos com edições no Rio de Janeiro e em São Paulo. Na ocasião, foram promovidas visitas técnicas às usinas da Eletronuclear, em Angra dos Reis (RJ), e à fábrica de combustível da INB, em Resende (RJ). Naquela oportunidade, participaram importantes nomes da indústria nuclear brasileira, respeitadas internacionalmente, como Leonam dos Santos Guimarães, diretor da Eletronuclear, e Celso Cunha, presidente da ABDAN.

Além do Brasil, o calendário de eventos da WNU também engloba a Argentina e a Indonésia. Do dia 30 de outubro a 2 de novembro, o país vizinho também receberá um dos cursos promovido pela entidade, na bela cidade de Bariloche. Já a nação asiática terá atividades entre 8 e 12 de outubro, na cidade de Yogyakarta, como foco no debate sobre a economia nuclear e estruturação de projetos, o desenvolvimento nuclear na Indonésia, recursos humanos na indústria nuclear, entre outros tópicos.

Deixe seu comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz