LUCRO DA PETROBRÁS CAI 14,6% NO SEGUNDO TRIMESTRE DO ANO

PARENTEA Petrobrás fechou o segundo trimestre do ano com lucro líquido de R$ 316 milhões, uma queda de 14,6% na comparação com o mesmo período de 2016. A companhia apresentou os resultados financeiros nesta quinta-feira (10), em conferência com o presidente Pedro Parente (foto) e toda a diretoria. O valor também é 93% menor ante o primeiro trimestre de 2017. O lucro bruto da Petrobrás também caiu para 21,4 bilhões, 10% menor em relação ao primeiro trimestre do ano.

Fazendo o balanço do semestre, a Petrobrás fechou o período com lucro líquido de R$ 4,8 bilhões, deixando para trás o o prejuízo de R$ 876 milhões em igual intervalo de 2016. O lucro operacional nos seis primeiros meses do ano foi de R$ 29,3 bilhões, valor 91% maior do que registrado em igual intervalo de 2016.

Em relação ao desempenho operacional, a produção da estatal fechou em 2,7 bilhões de barris de óleo equivalente por dia no primeiro semestre, 3% maior do que a produção do mesmo período de 2016. A produção média ficou em 2,671 mil barris de óleo equivalente por dia, número 6% maior ante 2016.

A diretora de exploração e produção da companhia, Solange Guedes, disse durante a conferência que a plataforma P-66 deve ganhar mais dois poços produtores em 2017. A executiva afirmou ainda que o FPSO Pioneiro de Libra, que já teve licença ambiental concedida, está aguardando a conexão do 1º poço para a entrada em produção no terceiro trimestre do ano. Já o FPSO Cidade de Campos dos Goytacazes deve iniciar as atividades em 2018, também de acordo com Guedes. Ela ainda acrescentou que, seguindo o plano de negócios da estatal, a retomada na exploração em 2018 está nos planos.

A Petrobrás também apresentou um novo patamar de custo no pré-sal abaixo dos US$ 7 por barril, valor que pode ser considerado inexplicável, se levarmos em conta todos os custos e investimentos inerentes à exploração e produção na área.

Sobre as empresas que fizeram acordo de leniência, mas que continuam impedidas de serem contratadas pela Petrobrás (como a UTC), ressaltou que existem ainda outras etapas a serem cumpridas o diretor executivo de governança e conformidade, João Elek, disse existem outras etapas a serem concluídas, como a implementação de um programa de integridade. Só a partir de então as empresas bloqueadas poderão ser novamente contratadas.

A Petrobrás também anunciou uma redução de custos gerenciais em 12%; e de 16% nas despesas de vendas, gerais e administrativas. Houve ainda uma redução de 18% no efetivo de pessoal do Sistema Petrobrás desde o primeiro semestre de 2016.

Deixe seu comentário

6 Comentários em "LUCRO DA PETROBRÁS CAI 14,6% NO SEGUNDO TRIMESTRE DO ANO"

Notify of
avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
Paulo Pereira
Visitante
Apresentamos lucro líquido de R$ 4,8 bilhões no primeiro semestre deste ano Reduzimos para 1,1 a Taxa de Acidentados Registráveis (TAR) Nosso lucro líquido atingiu R$ 4,8 bilhões no primeiro semestre de 2017, revertendo o prejuízo registrado no mesmo período do ano anterior e refletindo a melhora no nosso desempenho operacional, apesar da menor venda de derivados no mercado brasileiro. Esse resultado foi alcançado pelo aumento da receita com exportações, em função de maiores volumes e preços de petróleo, assim como menores despesas de vendas, gerais e administrativas e menores gastos com importações de petróleo, derivados e gás natural, além… Read more »
Luciano Seixas Chagas
Visitante
A incompetência da gestão Pullen Parente e séquito, como denunciamos todos os dias tem, como resultado o pífio desempenho apresentado ontem no último balancete. Isso considerando que a Petrobras recebeu parte da grana da malsinada venda da NTS, a preço de banana. Sem esta grana o resultado seria outro, pior, bem pior. Vejamos a situação: de positivo temos um substantivo aumento da produção local proveniente do endeusado pré-sal. O lift cost de U$7/bbl é melhor que os U$8, do ano passado. Demitiu-se pessoal que deveria resultar em maiores receitas e lucros, a diminuição, em dólares da dívida, apesar de comprometer… Read more »
Paulo Pereira
Visitante

Fonte:
Publicado em 10/08/2017 – 18h42 – Por: Petrobras
Financeiro – Comunicação e Marcas – Gerência Executiva

joão batista de assis pereira
Visitante
joão batista de assis pereira
ENGENHEIRO DA PETROBRÁS APRESENTARÁ DENÚNCIA SOBRE IRREGULARIDADES NA CONTRATAÇÃO DE RISERS FLEXÍVEIS NO PRÉ-SAL https://www.linkedin.com/pulse/engenheiro-da-petrobr%C3%A1s-apresentar%C3%A1-den%C3%BAncia-sobre-na-pereira A Petrobras apresentou o resultado operacional do 2T de 2017 reportando lucro líquido de R$ 316 milhões, muito aquém das expectativas de mercado, com uma queda de 14,6% na comparação com o mesmo período de 2016. O valor também é 93% menor ante o primeiro trimestre de 2017. O lucro bruto da Petrobrás também caiu para 21,4 bilhões, 10% menor em relação ao primeiro trimestre do ano. O fraco desempenho que a estatal vem apresentada no seu resultado em 2017 é decorrente da complicada situação… Read more »
joão batista de assis pereira
Visitante
joão batista de assis pereira
Em uma análise perfunctória ao balanço apresentado chama atenção nas entrelinhas, que a Petrobras apontou despesas não recorrentes como pagamentos de tributos ao governo federal, sem maiores questionamentos. A estatal reporta que pagou no trimestre R$ 6,3 bilhões a título de regularização tributária ao governo. Se observarmos atentamente o balanço, veremos que ela vendeu 90% da malha de gás do sudeste por R$ 7 bilhões e usou quase a totalidade desse dinheiro todo para dar ao governo. A Petrobras vendeu os 90% da Nova Transportadora do Sudeste (NTS) a um fundo de investimentos da canadense Brookfield. A NTS possui cerca… Read more »
joão batista de assis pereira
Visitante
joão batista de assis pereira
PETROBRAS SUCUMBE SOB EFEITO RECORRENTES DE CONBRANÇA TRIBUTARIAS CONTROVERSAS PARA EQUILIBIO DE CONTAS DO GOVERNO FEDERAL. Parece que foi ontem, mas já se foram dois anos que a mídia reportou que a Petrobras havia concordado em pagar mais uma dívida tributária controversa para que o Governo corrupto da Dilma pudesse mitigar o desequilíbrio das contas diante da pedaladas fiscais praticadas e que no final levou ao seu impedimento. https://www.petronoticias.com.br/archives/73058#comment-160077 Decorridos exatos dois anos, observamos a Petrobras sob comando do P.P Parente da era Temer aderir a idênticos programas de regularização tributária (PRT e PERT) para pagamento de quantias bilionárias pela… Read more »
wpDiscuz