POTENCIAL ENGENHARIA CONCLUIRÁ UNIDADE DE PROCESSAMENTO DE GÁS NO AMAZONAS EM JUNHO

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) -

JoseLimaJr1Com diversos projetos concluídos dentro do setor de óleo e gás, a Potencial Engenharia tem aumentado cada vez mais sua participação no setor. Recentemente, a empresa finalizou o projeto de manutenção da Refinaria do Paraná, unidade que teve sua atividade paralisada após um incêndio ocorrido em novembro; e entregou o off-site do diesel da Refinaria Gabriel Passos. O presidente da empresa, José Lima Júnior, conta que após terminar estes projetos, a Potencial agora trabalha na construção da unidade de processamento de gás natural em Urucu (AM), com previsão de conclusão para junho deste ano; e na montagem dos equipamentos para a Refinaria do Vale do Paraíba, que será finalizada em meados do ano que vem.

Qual é o carro-chefe da empresa?

A Potencial Engenharia tem 25 anos de existência e durante esse tempo o setor de óleo e gás sempre teve maior destaque em nossos negócios. Os fundadores da companhia são engenheiros com grande conhecimento do segmento. De 2007 para cá, incrementamos ainda mais a participação no mercado de óleo e gás, participando de contratos EPC. Hoje, a Potencial está muito bem posicionada no setor petrolífero. 

E quais são os principais projetos dentro do mercado de óleo e gás?

Um viés muito importante é a área de manutenção de refinaria. Nos últimos dois anos, a Petrobrás nos concedeu o prêmio de melhor empresa neste setor. No final do ano passado, nós fomos convocados pela estatal para auxiliar na retomada nos trabalhos da Refinaria do Paraná, que teve sua atividade afetada após um incêndio. Nós trabalhamos com um contingente de quase 400 pessoas neste projeto e conseguimos colocar a unidade em operação em tempo recorde.

Que contratos estão atualmente em andamento?

Na área de construção, estamos fazendo a montagem dos equipamentos das unidades C3 e C5+ para a Refinaria do Vale do Paraíba (Revap), em São José dos Campos (SP). Esse é um contrato completo: nós fazemos o projeto, compramos os equipamentos, realizamos a montagem eletromecânica, pré-operação e a operação.

Qual o valor deste contrato? Quando o projeto será concluído?

Este contrato é da ordem de R$ 300 milhões e a previsão é de que o projeto seja concluído em meados de 2015.

E quais outros contratos a Potencial possui?

Também temos um projeto de construção de R$ 250 milhões da unidade de processamento de gás natural em Urucu (AM). Da mesma forma que na Revap, somos responsáveis pela construção, compra de equipamentos, pré-operação e operação assistida. Esperamos concluir este contrato em junho deste ano.

No mês de janeiro, entregamos o off-site do diesel da Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim (MG); e entregaremos em meados de 2014 o off-site da Refinaria Presidente Bernardes em Cubatão (RPBC), no estado de São Paulo. Cada contrato possui um valor entre R$ 130 milhões e R$ 140 milhões.

E em offshore?

A Potencial tem sido convidada para a manutenção de todas as plataformas da bacia de Campos e da bacia de Santos. Não fomos ganhadores dessas concorrências, mas concorremos em todas, o que mostra a nossa qualificação. Recentemente, realizamos a manutenção da plataforma do campo de Manati, na Bacia de Camamu.

Quanto foi o faturamento da companhia no ano passado?

Nós não ainda não fechamos nosso balanço, mas acredito que tivemos algo em torno de R$ 650 milhões. Para 2014, devemos ter um leve crescimento neste valor.

Como está a expectativa de novos contratos?

Esperamos ser convidados para vários contratos, principalmente para projetos de manutenção de refinarias, plantas que hoje estão muito maiores em relação ao passado. As refinarias praticamente dobraram de tamanho nos últimos anos.

E como tem sido a atuação da Potencial em outros mercados?

No setor de mineração, temos três convites da Vale em São Luís (MA); também temos trabalhado com o segmento petroquímico, com perspectiva de receber novos convites.


zv7qrnb

Nenhum comentário ainda.

Deixe sua resposta

*