UTC PREVÊ INÍCIO DAS OBRAS DE UNIDADE DE PRODUÇÃO DE MÓDULOS AINDA ESTE ANO

A UTC Engenharia, responsável pela produção dos módulos replicantes para plataformas de petróleo da Petrobrás, prevê a obtenção da licença ambiental necessária para a construção da unidade de produção dos módulos para o próximo mês. A unidade, que será construída no município de Charqueadas (RS), também irá necessitar da licença de instalação, que deve ser conseguida ainda no segundo semestre, junto à Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam).

Adquirindo estes últimos documentos, a previsão da UTC Engenharia é de que as obras sejam iniciadas imediatamente, para que a produção dos módulos possa começar no prazo de no máximo dois anos após o início da construção da unidade. Segundo o diretor de Contrato da UTC, Alex Sarmento, as obras ainda poderão ser aceleradas, caso a empresa ganhe mais alguma licitação de encomendas de módulos.

Conforme Sarmento, o investimento total no projeto é de R$ 118 milhões, aplicados tanto na construção da unidade de produção de módulos, quanto na construção de dois cais no rio Jacuí, que corre próximo ao local onde será instalada a unidade. Além dos incentivos oferecidos pelos governos estadual e municipal, as condições logísticas e oferta de mão de obra, já que serão gerados entre 1,5 e 2 mil postos de trabalho, foram fatores chave para escolha da localização da unidade de produção.

A UTC Charqueadas, nome da unidade, foi apresentada esta semana por Alex Sarmento na Fiergs, em painel promovido pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Estavam presentes no evento diversos representates de órgãos governamentais do Rio Grande do Sul. Durante o evento, Sarmento anunciou que a AGDI irá promover um Supply Day em agosto, para aproximar investidores e potenciais investidores do projeto da UTC.


1 Resposta para “UTC PREVÊ INÍCIO DAS OBRAS DE UNIDADE DE PRODUÇÃO DE MÓDULOS AINDA ESTE ANO”

  1. tomara que este salário não seja miseravél igual o da techint em paranaguá pr salário de fome.

Deixe sua resposta

*